Aleinn Á Ný

Jardim das Acácias

Estranho pensar sobre isso. As pessoas vão embora sem se despedir. Vão para sempre, sem receio algum, simplesmente vão. Simplesmente. Sem olhar para trás. As mesmas pessoas que te faziam juras de eternidade no dia anterior.

Alguns meses atrás você esbanjava sorrisos sem o menor pudor, andava por aí com olhos brilhantes e vendo tudo lindo ou pelo menos suportável mesmo que fosse horrível. Você tinha em quê se segurar e não tinha uma gota de vergonha em ter essa muleta que te deixava em pé não importava o quê. Mas de um dia pro outro – e aqui falo, literalmente, de um dia pro outro -, vem uma rasteira que nem os deuses poderiam prever e quando você cai, totalmente desorientado, acaba sendo bem mais dolorido do que imaginava que seria.

O que vem então é um monte de feridas antigas sendo reabertas; e elas nunca doeram tanto. Feridas…

Ver o post original 424 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s